Torabit/Blog

Segundo dia de Copa e a gente tá como?

Qual o ranking dos mais citados nas menções sobre a Copa do Mundo nas redes sociais? O Torabit sabe.

Analisadas 1,8 milhão de menções nas redes Twitter, Facebook, Instagram, YouTube, blogs e Google Plus, foi possível elaborar o ranking.

Entre este total de posts publicados de segunda-feira até sexta-feira, no fim do jogo Portugal x Espanha, a cantora colombiana Shakira, responsável pelo tema musical oficial da Copa de 2010, Waka Waka, foi a mais comentada.

O tema oficial deste ano (Live it Up, composto pelo DJ Diplo e cantado por um grupo que inclui o ator Will Simth) ainda não caiu no gosto dos torcedores.

Eis o ranking dos dez mais citados:

 

Como o jornalismo pode lidar com a avalanche de boatos e notícias fraudulentas na rede?

Em tempo de fake news, nada melhor do que dados!

O novo episódio da websérie “Cartas na Mesa”, produção conjunta entre o Observatório da Imprensa e o Curso de Jornalismo da ESPM, traz uma conversa franca entre Caio Túlio Costa e Ricardo Gandour. O tema é a desinformação. Como o jornalismo pode lidar com a avalanche de boatos e notícias fraudulentas na rede? Veja, agora, as respostas para essas e outras perguntas no terceiro episódio da websérie “Cartas na Mesa” – com Caio Túlio Costa e Ricardo Gandour.

A maconha é pop

Mais um estudo realizado pelo pessoal do Comunica Que Muda, iniciativa digital da agência de publicidade nova/sb. O estudo foi feito por meio do Torabit.

Do: http://www.comunicaquemuda.com.br/a-maconha-e-pop/

Publicado em 25/05/2018:

A maconha é pop

Estudo realizado pelo Comunica Que Muda (CQM), iniciativa digital da agência de publicidade nova/sb, mostra que na internet a maconha é popular, defendida mais pelas mulheres (73,8%) e o assunto “pega fogo” no Rio de Janeiro (34%), seguido por São Paulo (18,5%). Entre os dias 12 de março e 8 de abril foram analisadas 555.280 menções nas rede.

Desses comentários, 72% são favoráveis, 14% contra e 14% neutros. O tema é compartilhado por 59,6%, embora poucas pessoas comentem sobre suas próprias experiências. Dos que falam sobre maconha nas redes, mais de ¼ assumem publicamente que usam a erva de forma recreativa (28,1%). As mulheres escrevem mais o tema do que os homens: 56% contra 44%. Entre elas, 73,8% são a favor. Já entre eles são favoráveis 63,9%.

Apesar da grande discussão nas redes, a cannabis ainda é tratada de forma superficial. Existe pouca discussão sobre guerra às drogas, descriminalização e uso medicinal. Do total de menções sobre a erva, apenas 4,5% falam da batalha contra entorpecentes. Desses, 65% são contrários à forma como se combate às drogas, 29% são a favor e 6% neutros. Com relação à legalização, 84,6% são a favor, 14% contrários e 4,1% neutros

Nas postagens, 98,6% comentam sobre o uso recreativo e somente 1,4% sobre a utilização medicinal. Desses, 91,7% apóiam a maconha medicinal, 8,3% são neutros e ninguém é contrário.


Veja aqui o estudo completo.

 

Diminui o apoio à greve nas redes sociais

 

O fim de semana serviu para mudar um pouco os ânimos dos usuários de internet com a greve de caminhoneiros.

Medição do Torabit que analisou 361.807 posts entre as 12h de sexta-feira (25/5) e as 10h desta segunda- feira (28/5) mostra que o apoio explícito caiu de 53,54% (na primeira medição) para 34,5% agora.

Da mesma forma, o percentual de posts com comentários positivos também caiu, de 52,2% para 45%. Muitos comentários aprovam a greve, mas tratam negativamente de seus efeitos.

A quantidade de comentários negativos também cresceu, de 10% para 19%, ganhando nove pontos percentuais.

Os comentários neutros agora formam 39% do total, bem perto dos quase 38% apurados na quinta e na sexta-feira passadas.

Aumentou também a quantidade de posts com piadas ou reproduções delas: 34,5% agora, contra 27,5% apurados na semana anterior.

Há outros dados importantes nesta apuração do fim de semana sobre o movimento: notícias formam 24,1% do total de posts analisados, o não- apoio explícito à greve soma 6,7%, problemas do cotidiano são 4,4%, e as menções ao custo da greve atingem significativos 4,2% do total dos posts.

Diminuiu a quantidade de mulheres que comentam o assunto: 51% de mulheres agora, contra 55,5% na semana passada. Quanto aos homens, agora são 49%, contra 44,5%.

Excetuando-se os perfis de veículos de mídia no Twitter, o TOP 5 de autores com maior alcance falando sobre o tema “greve dos caminhoneiros” foram: o humorista @DaniloGentili com comentário político sobre o tema, o escritor @paulocoelho falando sobre a greve que afeta a reposição de seu livro novo e os youtubers @whindersson e @felipeneto e o perfil @frasesdebebada com posts bem humorados.

O Torabit mediu as reações na seguintes redes: Twitter, Instagram, YouTube, GooglePlus, páginas abertas do Facebook e em blogs e sites da internet.

No período, “greve dos caminhoneiros” esteve 46 vezes entre os assuntos mais procurados no Google Brasil. As pessoas buscavam: “greve dos caminhoneiros notícias atualizadas”; “greve dos caminhoneiros 2018”; “Acabou a greve dos caminhoneiros”; “fim da greve dos caminhoneiros” ou “somos todos caminhoneiros”.

No IVC (Instituto Verificador de Comunicação), órgão que audita a audiência dos veículos noticiosos, a palavra “caminhoneiros” foi a notícia mais clicada na sexta, no sábado e no domingo.

No Twitter, o tema entrou nos assuntos mais falados (Trend Topics) 199 vezes, dividido em #euapoioagrevedoscaminhoneiros e #grevedoscaminhoneiros.

Confira algumas piadas que mais apareceram no fim de semana nas redes:

A greve dos caminhoneiros não afeta o SUS. Continua normal, sem medicamentos e sem médicos.

Greve dos caminhoneiros o oxigênio chegou. Mas os remédios faz mais de 6 meses que não chegam.

“1 bilhão de aves poderão morrer nos próximos dias.” Sim, se não tivesse greve dos caminhoneiros elas iriam pra um spa.

Os caminhoneiros estão de greve, mas a zaga do Vasco tá entregando normalmente.

Mais uma exigência na greve dos caminhoneiros: “Make Temer fucking a pig” (referência à série Black Mirror).

Primeiro nosso ouro, agora nossas ideias: Caminhoneiros de Portugal ameaçam fazer greve.

Uma coisa q eu percebi é que a greve dos caminhoneiros não impactou em nada o serviço dos Correios. Eu continuo sem receber minhas encomendas como sempre.

Greve tem apoio da maioria nas redes sociais

52,2% das menções sobre a greve dos caminhoneiros são positivas em relação ao movimento. Em relação ao restante, 37,8% são neutras e apenas 10% são negativas.

O Torabit analisou 133.284 menções nas redes sociais sobre o tema da greve entre 24 e 25 de maio.

Aprofundando a análise, vê-se que 53.4% são de apoio explícito; 27.2% são piadas, 8.4% são notícias, 6.5% contam casos do cotidiano e 4.5% são totalmente contrárias à greve.

Rio (com 27,1%) é o estado no qual mais se fala da greve nas redes. São Paulo (19,6%) fica em segundo, Minas em terceiro (10,1%), Rio Grande do Sul em quarto (5,4%) e Paraná em quinto com 5,3%.

As mulheres falam mais: formam 55,5% do público enquanto que os homens formam 44,5%. Neste mesmo período, das pessoas que falam sobre eleições nas redes sociais, 65,5% são homens e 34,5% são mulheres.

No período analisado, as hashtags #grevedoscaminhoneiros ou #euapoioagravedoscaminhoreiros figuraram 406 vezes nos assuntos mais comentados do Twitter (trending topics) computados trending das capitais do Brasil, do Brasil como um todo e todo o mundo. A segunda hashtag chegou a ficar em segundo lugar entre os trendings mundiais.

Torabit no Newsgeist

Rolou na semana passada, em Buenos Aires, o  Newsgeist“encontro de profissionais e pensadores do mundo do jornalismo, tecnologia e políticas públicas que estão reinventando o futuro das notícias”. E o Enor Paiano tava lá e apresentou um panorama de como o “social listening”, parte do monitoramento digital,  pode ser uma alternativa ou um complemento às pesquisas eleitorais. O cenário analisado foi de como as pessoas em rede se comportaram em relação a Lula, dito candidato, antes e depois da prisão.

Veja a apresentação aqui: Newsgeist

Aproveite também e veja nosso site de eleições.

Torabit cria página para medir interesse sobre eleições na internet e o desempenho de pré-candidatos

São Paulo, 5 de março de 2018 –

Eleitores, imprensa e pré-candidatos à Presidência da República têm, a partir de hoje, um porto seguro na internet para avaliar o interesse do público pelas eleições e comparar a presença digital dos concorrentes. A página Torabit nas Eleições 2018 passa a publicar uma série de informações relevantes no ecossistema eleitoral.

Quais assuntos e palavras aparecem em torno do universo das eleições? Em quais Estados se posta? Quanto se posta por gênero, por exemplo? Quantos seguidores têm cada candidato em cada rede? Quantas postagens cada um faz por dia? Qual o resultado (em termos de curtidas, comentários e compartilhamentos) de cada pré-candidato? Qual a taxa de engajamento de cada pré-candidato com seu público?

O resultado do primeiro monitoramento mostra que Jair Bolsonaro tem a maior quantidade de fãs no Facebook: 5,2 milhões. Lula vem em segundo, com 3,1 milhões. Mostra também que, entre os pré-candidatos com mais de 500 mil seguidores no
Facebook, foi Álvaro Dias quem mais produziu posts (92 nos últimos sete dias), mas quem mais teve curtidas foi Jair Bolsonaro (mais de 423 mil), também aqui seguido por Lula, com quase 120 mil curtidas. A maior taxa de engajamento, que mede a quantidade de ações (curtidas, comentários e compartilhamentos) produzidas pelos usuários, ficou com Álvaro Dias (8,74% na média diária) contra 4,54% de Bolsonaro e 3,66% de Lula. O exame da página vai mostrar dezenas de outras informações relevantes. No Twitter, a campeã de seguidores é Marina Silva, com 1,8 milhão. Quem mais postou também foi Álvaro Dias, publicando 213 posts no período (últimos sete dias). Quem teve mais retuítes foi Bolsonaro (17.397) e quem liderou a taxa de engajamento foi Bolsonaro, com média diária de 3,66%.

As redes escolhidas para participar do monitoramento foram Facebook, Twitter, Instagram e YouTube – as quatro principais em termos de audiência e presença. Atualizada diariamente, a página vai mostrar o que aconteceu no último dia  e
também nos últimos sete dias. O usuário pode escolher ver o desempenho dos pré-candidatos – todos que tiverem mais de 500 mil fãs no Facebook – ou o resultado do monitoramento daquilo do que se fala na rede sobre possíveis candidatos ou sobre
eleições.

Os gráficos, posts e as informações publicadas pela página do Torabit darão plena conta do interesse dos usuários das redes sociais pelas eleições de 2018. Tudo isso, no entanto, é um “aperitivo” das milhares de informações coletadas e trabalhadas pela plataforma Torabit.

Muito mais do que uma simples ferramenta de monitoramento, o Torabit – junção de “tora” (força) com “bit” (unidade mínima de informação digital) – desenvolveu uma plataforma de inteligência e análise que ajuda clientes na definição de estratégias de
mercado, conteúdo e influência online e off-line.

Criado no Brasil, o Torabit utiliza técnicas de vanguarda para capturar e processar informações de grandes fontes de dados de forma rápida e escalável, concentrando em um só lugar as alavancas necessárias para amplificar a presença digital por meio de
análises automáticas de sentimento, clustering, comparação de perfis, interpretação de textos e construção de rankings. No caso, ideal também para qualquer candidato a cargo eletivo. Mais informações em www.eleicoes.torabit.com.br

Ziriguidum nas redes sociais

Atenção, marcas: ainda dá tempo de produzir conteúdo dos bons pro Carnaval.

Atenção, jornalistas: ainda dá tempo de escrever conteúdo dos bons pro Carnaval.

Atenção, todo mundo: se liga no que tá rolando na internet sobre o Carnaval.

Pegamos os 15 dias de pré-Carnaval (de 21 de janeiro a 4 de fevereiro) e analisamos 2.479.106 posts sobre o ziriguidum na internet. A mulheres dominaram os comentários, com 60% dos posts produzidos; os cariocas foram responsáveis por 44%  das menções, seguidos de longe pelos paulistas, com 13%.

Horários bons para postar sobre o Carnaval: 1º: entre 22h e 00h, 2º: entre 12h e 15h e 3º: entre 20h e 21h.

A fantasia mais comentada nas redes foi a do tema queridinho da internet: Unicórnio, seguido pela fantasia de Sereia. O seriado da Netflix “La casa de papel” foi mencionado também como inspiração para fantasias dos foliões. Ainda sobre adereços, os usuários deram dicas para economizar e fazer a própria fantasia em casa.

Dicas de #makeup nunca são demais. Só precisam ser boas – e elas se perpetuarão nas redes.

No bloco dos brilhos, 2018 trouxe o debate sobre o uso do glitter no Carnaval. O incentivo para que homens também aderissem ao brilho nos blocos e a discussão sobre o uso sustentável das partículas brilhantes de plástico bombaram nas redes e valem pauta. 😉

Seguindo o espírito dos novos tempos, as campanhas de marcas contra o assédio no Carnaval não têm erro. Fazem com que sua marca seja compartilhada pelo lado bom da força. Comunicar da melhor forma é ser útil para a comunidade. Sua marca ganha, e a gente também.

Água é a bebida mais falada pelos foliões até agora. Vem seguida pela cerveja. Hidratem-se!

Skol e Coca Cola são as marcas mais faladas nas menções sobre Carnaval.

Claudia Leitte e Pitbull são os artistas mais falados nos posts.

E as escolas de samba mais faladas nas redes são, por ordem:

RIO: Mangueira>Salgueiro>Beija Flor>Grande Rio>Portela.

SP: Gaviões>Mancha>Acadêmicos do Tatuapé>Rosas de Ouro>Acadêmicos do Tucuruvi.

Cadê o viral? O grafo de conexões abaixo mostra o quão periférica está a discussão nas redes sobre o tema Carnaval. As pessoas estão falando sobre suas experiências, comentando ou compartilhando notícias, mas não foi visto ainda nenhum tema que bombou de um lado para o outro, que viralizou.

Resumindo em nuvens:

nuvem geral

nuvem sobre sexo no carnaval

nuvem em torno de fantasia

nuvem em torno de beber/bebidas

nuvem em torno de blocos

nuvem em torno de desfile

nuvem em torno de música

 

 

 

 

 

 

Julgamento de Lula nas redes sociais

Estudo feito a pedido do Jornal O Globo

Assim que se encerrou o julgamento do ex-presidente Lula, encerrou-se também o monitoramento que o Torabit fez durante o dia 24 de janeiro em volta do julgamento. Foram 143.436 mil menções sobre o julgamento nas redes sociais até as 18h.

As redes apontaram 36% de menções negativas e 21,8% de apoio ao ex-presidente. 42,2% das menções foram neutras, em sua maioria de compartilhamento de notícias sem juízo de valor.

Os cinco estados que mais postaram sobre o termo foram: SP com 24,5%, RJ com 19,2%, MG com 9,6%, RS com 6,2% e DF com 4,5%.

Das mais de 140 mil menções analisadas os homens participaram mais que as mulheres: 65% x 36%.

Nuvem de termos
As palavras que tiveram maior frequência junto ao tema nestas dez horas de monitoramento foram “julgamento” e “Gebran” (desembargador que falou por mais de 3 horas no julgamento), conforme mostra a nuvem abaixo. O tamanho da palavra é proporcional à sua frequência no universo pesquisado.
Grafo de conexões
O assunto foi discutido nas redes por pessoas de todos os tipos e não ficou restrito só à militância, como mostra o grafo abaixo. Cada pontinho é uma pessoa que falou sobre o tema. Em momentos políticos, é comum ver este grafo polarizado, claramente dividido entre dois lados. Diferente, este demonstra o quão descentralizado foi o movimento em torno do julgamento do ex-presidente.

Crescendo

Lula chegou aos 3.110.000 mil fãs no Facebook exatamente às 18 horas de hoje (24/1), ou seja, vai ganhar mais de nove mil fãs em único dia uma vez que estava com 101 mil fãs na terça-feira (23/1).

No mundo

A hashtag #TRF4 ficou em primeiro lugar no ranking de assuntos mais falados do Twitter Mundo das 11h até às 13h.
A hashtag #Molusconacadeia ficou em primeiro lugar no ranking de assuntos mais falados do Twitter Mundo às 14h, 15h, 17h e 18h
Excetuando-se os perfis de mídia no Twitter, quem mais alcançou seguidores com um post sobre o tema foi o da ex-presidente argentina com alcance potencial de mais de 5 milhões de pessoas.
“Cristina Kirchner @CFKArgentina
5349110 seguidores
Acompañamos a Lula y al pueblo de Brasil. #JusticiaPorLula @LulapeloBrasil https://t.co/Y”

A gente encontra o que você precisa.

Contrate já!